As 10 Leis da redação para o Cebraspe (Cespe)

A banca Cebraspe (antes Cespe/ Unb) é com frequência citada como uma das mais exigentes e temidas na prova discursiva. Em parte, isso é verdade, pois a apresentação da proposta de redação diferencia-se da maioria das bancas por indicar uma sequência de tópicos sobre os quais o candidato deve obrigatoriamente discorrer. Então, se o candidato desconhece essa característica, é provável que não saiba como agir diante da folha em branco.

Outra característica marcante é a seleção de temas da atualidade, exigindo do candidato uma atenção constante ao que acontece no país de no mundo, assim como um senso crítico diante dos fatos.

Porém nada disso deve ser mistério para aqueles que se preparam com antecedência, praticam com temas já aplicados e acompanham a evolução da banca. Ou seja, a familiaridade com o estilo do Cebraspe vai transformando todo medo em segurança.

Se você quer se sair bem em provas discursivas da banca Cebraspe, selecionamos dez princípios que vão lhe ajudar a superar qualquer insegurança. Confira abaixo!



1. Respeite a estrutura dissertativa

A estrutura a ser seguida é a da dissertação tradicional, portanto o texto deve ter introdução, desenvolvimento e conclusão. Essa divisão pode ser feita, não apenas com a estratégia de divisão de parágrafos, por exemplo: se a proposta indicar três aspectos obrigatórios, cada um deles pode formar um parágrafo, bastando você utilizar o primeiro para contextualizar o tema central antes de discutir e argumentar o tópico específico, e o último você pode marcar com um elemento de coesão que se trata do final da redação. Mas atenção! Verifique antecipadamente se o foco dos tópicos permite isso, caso contrário um parágrafo específico de introdução ou de conclusão deverá ser elaborado.



2. Use as palavras-chave do aspecto

É muito importante que o corretor identifique rapidamente na sua redação o cumprimento de cada aspecto obrigatório, porque a pontuação é atribuída de forma individual a cada um deles, e demonstre que não está fugindo do objetivo. Portanto, utilize as palavras centrais, logo no início do parágrafo, alterando a ordem ou parafraseando dos elementos, mas nunca copiando literalmente a afirmação inteira. Por exemplo, se o aspecto for “O aumento da criminalidade do Brasil”, você pode escrever: Nas últimas décadas, a criminalidade no Brasil tem aumentado exponencialmente…



3. Respeite a sequência dos aspectos

Além de deixar bem evidente o cumprimento de cada aspecto obrigatório, mantenha a mesma sequência dada na proposta, pois é esta que o corretor irá seguir para avaliar. Caso você altere, poderá confundir o avaliador, assim como ele pode pensar que você não cumpriu um dos itens e, se precisar voltar para conferir tudo após o término da leitura (vale considerar que ele tem pouquíssimo tempo para isso), você poderá ter sérios problemas na avaliação de outros elementos do texto, como a progressão. Portanto, facilite a leitura e a avaliação. Ainda, ao elaborar a proposta, a banca já prevê uma sequenciação lógica das ideias e prepara o espelho de correção com base nesse raciocínio. Então, como disse antes, qualquer mudança pode confundir o corretor e prejudicar a avaliação.



4. Fundamente cada um dos aspectos

Logo na leitura da proposta você pode observar que cada aspecto possui um valor diferente, sendo que um sempre tem peso maior em relação aos demais. E para conseguir uma boa pontuação você deve fundamentar de forma consistente a abordagem do item, para isso apresente dados, notícias, casos reais, leis, autoridades, referências temporais ou geográficas, fatos históricos, enfim, elementos que validem o que diz. Pelo menos metade da nota é para isso. Uma boa estratégia é selecionar previamente o que irá apresentar em cada aspecto, assim evita falhas nesse quesito.



5. Não acrescente novos aspectos

Como a nota é dada baseada na explanação e argumentação de cada um dos aspectos obrigatórios, porque se desgastar com aquilo que não foi dado? Por melhor que seja a sua intenção, ideia ou argumento, não acrescente nada novo, pois isso não será considerado e ainda vai mostrar que você não compreendeu o comando da proposta. Portanto, seja objetivo e foque somente no necessário.



6. Use elementos de coesão diversificados

Esse é um elemento essencial para conectar as ideias e os parágrafos, caso contrário sua redação será apenas uma lista de itens e não uma dissertação. Sendo assim, a primeira providência é planejar previamente qual a relação de sentido entre os aspectos obrigatórios, de explicação, oposição, adição, concessão, finalidade, proporção etc, então escolha um elemento conectivo que melhor indica isso e anote. Você também pode usar outras estratégias para conexão, como o uso de pronomes, ou termos de retomada. Também insira elementos de coesão no interior do parágrafo, pois isso é muito bem avaliado.


Conheça os principais elementos de coesão aqui:

[  Tabela de Conectivos  ]



7. Garanta a progressão textual

Ao utilizar os elementos de coesão para conectar os parágrafos, a progressão textual já estará parcialmente estabelecida. Para complementar isso, também utilize termos do tema principal   durante a discussão em cada parágrafo para manter a relação com foco central da redação, assim como mantenha a coerência contextual e argumentativa. Ou seja, você não pode construir um texto com ideias fragmentadas e contraditórias.


8. Mantenha o padrão culto da linguagem

Considere que você está concorrendo a uma vaga no setor público, só isso é motivo suficiente para saber que não pode utilizar informalidades na seleção, não é? Pois bem, na sua redação você deve demonstrar que domina o padrão culto, conhece e respeita as regras gramaticais e valoriza a clareza. Não exagere em termos rebuscados nem em termos técnicos, isso dificulta a compreensão e demonstra mais um pedantismo de sua parte do que formalidade.


9. Cuide com a apresentação visual/ estética

Este, na verdade, é o primeiro aspecto avaliado pelo Cebraspe. Parece tolo, mas um texto com excesso de rasura, ou caligrafia difícil de compreender é comum até demais, e, particularmente, indica uma falta de respeito com o leitor. Isso, além de feio, prejudica consideravelmente a leitura e compreensão do texto. Portanto, capriche na caligrafia desde já, evite letras muito pequenas, desenhe claramente cada letra, isso deixará o avaliador feliz e você não perderá pontos importantes por algo tão simples.

Confira aqui como pode melhorar a sua caligrafia:

[  Cuidados com a caligrafia  ]



10. Preencha o máximo de linhas possível (o número total de erros gramaticais é dividido pelo total de linhas efetivamente escritas)

No Cebraspe não há um valor preestabelecido para a gramática, pois você não ganha pontos por acertar, apenas perde por errar, sendo assim, o corretor inicia a correção prevendo que você domina a norma culta. No entanto, ele não deixa de observar os erros, então a quantidade total de falhas gramaticais encontradas é dividida pela quantidade de linhas efetivamente escritas,  e o resultado será descontado da pontuação conquistada no critério Domínio de Conteúdo. Ou seja, de nada adianta construir um texto discutindo todos os tópicos, argumentando lindamente se você cometer uma série de falhas gramaticais (em um concurso, cada décimo é crucial para a sua classificação). Sendo assim, quanto mais você escrever e menos erros cometer, menor será o desconto na nota final.




Agora é hora de colocar essas orientações em prática, para isso selecione alguns temas já aplicados da banca (pode ser do Cespe, pois o estilo permanece)  e aplique em cada texto, com certeza você já não ficará mais seguro para elaborar a redação para o Cebraspe.



E se você quer garantir uma ótima redação em qualquer concurso da banca Cebraspe (Cespe), aguardo você no Escrever é Praticar, pois aqui:
– Você vai aprimorar praticando: todas as orientações são dadas a partir de seus próprios erros e acertos;
– Você treinar com temas do próprio Cebraspe (Cespe), para já se familiarizar com a banca;
– As propostas são disponibilizadas após a correção para que possa aplicar todas as orientações e não cometer mais os mesmos erros;
– Você pode treinar quantas redações quiser* e pode tirar todas as suas dúvidas diretamente com a professora.

*Consulte nossos planos. Sem limites de renovação.


Redação e Estudo de Caso - TRF 3

Já pensou em aprimorar a escrita praticando?

[  Clique aqui e saiba mais  ]

Publicado em 21 de janeiro de 2020 na categoria Cebraspe (Cespe), Concursos, Outros, Redação

Gostou? Que tal compartilhar!

Autor:

Professora Mariana Santana Marins, idealizadora do Escrever é Praticar. Especialista em Língua Portuguesa (UEL) e Mestranda em ensino de ciências humanas, sociais e da natureza (UTFPR - Londrina). Mais de 10 anos de experiência com aulas de português e redação na educação básica, no ensino superior e em preparatórios para concursos públicos. Revisora de diversas obras.

Comentário (1)

  1. Enegildo santos
    10 de junho de 2020 em 22:21 · Responder

    É de grande valor, cada ponto explicado, pois são pontos decisivos para concursos atuais e futuros na vida de qualquer pessoa que venha fazer uma redação dissertativa CESPE/CEBRASPE. Fico grato na excelência nas explicações.

Diga-nos o que achou desta publicação?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *