Como criar um título para a redação

Quando você procura um livro para ler ou um filme para assistir, a principal informação que você usa para fazer a sua escolha é o título. Quanto mais claro e atraente, melhor. Mas quando é para atribuir um título a um texto seu, tudo fica mais complicado, não é? Então, para ajudar você, vou dar 10 dicas de como elaborar um bom título.

Usar poucas palavras para sintetizar uma ideia não é uma tarefa fácil, por isso em muitos gêneros textuais usamos da imagem para dar um suporte: em livros a ilustração ou cores da capa influenciam na escolha; em cartazes de filmes a imagem geralmente é um frame de uma cena importante; até mesmo a escolha da fonte das letras ajuda a dar um suporte no sentido.

Porém, no texto dissertativo nada disso é possível.

As dicas que darei aqui são mais voltadas para textos dissertativos, especialmente aqueles que são cobrados em avaliações (concursos e vestibulares), pois em textos narrativos (contos, crônicas, fábulas), acadêmicos (artigo científico, trabalhos de conclusão de curso) e outros, as estratégias mudam um pouco. Até mesmo para criar o título de filme, série, novela é preciso considerar detalhes diferentes.

 

Então, a primeira dica é:
1. Leve em consideração o gênero textual que está produzindo.

 

A segunda dica é:

2. Não use o tema como título.

Não vale transcrever o tema proposto, isso não vai valer pontos e demonstrará que você não compreende a diferença entre tema e título (Exceto para a Marinha!). Veja um post especial sobre a Marinha do Brasil clicando aqui.

O título é uma afirmação que direciona o seu ponto de vista, é uma frase autoral que dá pistas para leitor sobre o que será discutido, demonstra um recorte do tema.

 

3. Use palavras-chave do tema ou do assunto

Escolha uma palavra-chave do tema para usar no título, isso ajuda a marcar que você compreendeu o tema e que irá direcionar a discussão do seu ponto de vista a ele. Pode usar sinônimos ou palavras do mesmo campo de sentido, o importante é deixar uma referência bem explícita.

 

4. Deve ser coerente com o seu ponto de vista

Por ser uma frase autoral, você precisa ter clareza sobre qual será o viés de discussão do seu texto, ou das informações que apresentará nele. Se você não definir a sua tese e seus argumentos antes de escolher o título, os riscos de incoerência são grandes. Por isso a próxima dica é essencial.

 

5. Não use títulos genéricos

Como seu título é um direcionamento do tema e da sua compreensão dele, ele não pode ser impreciso ou vago. A escolha das palavras para formá-lo precisa ter uma relação direta com a sua redação, caso contrário deixará o leitor confuso. Portanto tenha cuidado para não usar sempre o mesmo título, você pode praticar a construção dele para ter maior habilidade de concisão e objetividade, mas não para ter uma lista pronta.

 

6. Seja objetivo e sintético

Recomenda-se criar um título com poucas palavras, com no máximo 5, para apresentar seu ponto de vista em relação ao tema. Nada de frases longas ou que ocupem a linha toda. Lembre-se: ele deve ficar centralizado na linha.

Evite as palavras compostas, adjuntos ou locuções, mas também não seja genérico ou muito impreciso usando uma única palavra (Cidadania; Urbanização; Viver em sociedade).

Sabe a brincadeira de ver uma imagem e criar um título para ela? Então, esse é um ótimo exercício para melhorar sua habilidade de síntese, objetividade e clareza.

 

7. O verbo é opcional
Não se preocupe em criar sempre uma oração completa, no título uma única palavra pode já expressar o sentido necessário. Portanto, não é preciso pensar sujeito, verbo e complemento, usar frases nominais (sem verbo) são bem pertinentes e comuns, como nesses títulos de livros: “Cem dias entre céu e mar” (Amyr Klink); “Memórias póstumas de Brás Cubas” (Machado de Assis); “As meninas” (Lygia Fagundes Telles).

 

8. Não exagere na criatividade

Cuidado com os duplos sentidos, evite as figuras de linguagem que exigem um compartilhamento exato de conhecimento de mundo com o leitor, não use expressões emotivas, neologismos, clichês, rebuscamento na linguagem, lugar-comum ou sensacionalismo. Se o seu título não for claro quanto ao ponto de vista e o tema, a leitura já se inicia de forma obscura para o leitor. Pense em algo atraente, mas sem apelação.

Explorar a ironia e provocar o riso pode ser bem interessante. Outra estratégia criativa é usar alguma citação, trecho de música ou slogan fazendo um jogo de palavras, uma releitura. Demonstrar conhecimento de mundo com intertextualidade pode cativar o leitor.

 

9. Cuidado com a pontuação

O emprego de sinais de pontuação segue normalmente as regras gramaticais. A recomendação mais importante: é quando houver verbo, insira ponto final; quando não houver, não é preciso pontuar.

Você pode usar dois pontos para enfatizar algo importante como tópicos do seu ponto de vista e as aspas se for uma palavra estrangeira ou um recorte de citação.

Apenas não recomendo o uso da interrogação, pois a ideia da dissertação é você afirmar seu ponto de vista e não questionar o leitor. E nunca use a exclamação, ela tem um valor de pessoalidade muito alto.

Ressalto que em gêneros opinativos, como artigo de opinião, a interrogação é bem pertinente.

 

10. Crie o título após concluir o texto

Essa é uma estratégia importante para garantir que todas as dicas anteriores sejam bem empregadas, porque depois do texto finalizado você tem certeza de qual foi o direcionamento da discussão, e você não fica refém de um título pré-definido.

E caso não tenha nenhuma inspiração para criar o título, você pode usar uma frase sua do texto, especialmente da conclusão, pois isso dá um efeito bem interessante na leitura, como se encerrasse um ciclo anunciado pelo título. Mas claro que alguma referência do desenvolvimento também pode ser utilizada, considere somente a relevância dela para discussão como um todo.

 

Assista ao vídeo especial sobre este assunto:

Autor(a): Professora Mariana Santana Marins, idealizadora do Escrever é Praticar. Especialista em Língua Portuguesa (UEL) e Mestranda em ensino de ciências humanas, sociais e da natureza (UTFPR - Londrina). Mais de 10 anos de experiência com aulas de português e redação na educação básica, no ensino superior e em preparatórios para concursos públicos. Revisora de diversas obras.

Gostou? Deixe um comentário!

Este site é protegido pelo reCAPTCHA e são aplicáveis a Política de Privacidade e os Termos e condições do Google.



Gabryela Azevedo

3 meses atrás

Ótimas dicas. Amei o texto!

Gostaria de receber um e-book com dicas de redação?

Preencha o formulário abaixo e receba em seu e-mail!
Selecione uma opção para receber informações sobre o assunto.