Escrever com objetividade – locuções

É comum pensarmos que texto bom é aquele em que usamos muitas palavras, ou exageramos na prolixidade. Porém, escrever com objetividade ajuda muito na clareza das ideias apresentadas, consequentemente seu leitor irá compreendê-las rapidamente. Por isso atente-se quando você usa muitas palavras para dizer algo que pode ser exposto de outra forma. Se você tem pouco espaço para escrever, escolher bem as palavras, ou usar poucas, pode ser decisivo.

Já falei para você sobre os cuidados com o verbo, o quanto ela pode prolongar demais uma frase e deixá-la imprecisa. Agora vou apresentar para você algumas locuções que podem ser evitados e deixar o texto mais enxuto. O primeiro grupo é de verbos + substantivos. Veja os seguintes exemplos:

- pôr em ordem as ideias

- pôr moeda em circulação

- fazer uma redação

- fazer um discurso

- ver a beleza da noiva

Vale ressaltar que não há nenhum erro gramatical nessas expressões, elas são corretas e podem sim ser empregadas. Tudo vai depender do gênero que está produzindo, do seu objetivo e, principalmente, do espaço que possui para escrever. Agora veja como elas podem ficar mais diretas, e até mais elegantes:

- pôr em ordem as ideias = ordenar as ideias

- pôr moeda em circulação = emitir moeda

- fazer uma redação = redigir

- fazer um discurso = discursar

- ver a beleza da noiva = admirar a noiva

Dica: cuidado com os verbos: FAZER, PÔR, TER, VER eles são bem comuns em locuções. Então, quando eles estiverem muito presentes no seu texto é sinal de que ajustes são necessários.

 

Outra locução bem comum é a formada por substantivo + preposição

- beleza de anjo

- líquido sem cheiro

- populações das margens dos rios

- água boa para beber

- material de guerra

 

A fim de deixá-las mais concisas e demonstrar um maior repertório linguístico, todas elas pode ser reescritas da seguinte forma:

- beleza de anjo = beleza angelical

- líquido sem cheiro = líquido inodoro

- populações das margens dos rios = população ribeirinha

- água boa para beber = água potável

- material de guerra = material bélico

 

As expressões ficaram até mais elegantes, não é? E você percebeu que ter um vocabulário mais amplo é muito importante para esses ajustes, portanto, leia bastante e observe falas e textos em que os autores usam essas estratégias. Depois, nas suas redações, faça esse exercício de eliminar locuções sempre que possível.

 

Referência utilizada:

SQUARISI, Dad. SALVADOR, Arlete. Escrever melhor: guia para passar textos a limpo. São Paulo: Contexto, 2009.

 

Leia também:

Escrever com objetividade – verbos

 

Veja um vídeo especial sobre este artigo:

 

Autor(a): Professora Mariana Santana Marins, idealizadora do Escrever é Praticar. Especialista em Língua Portuguesa (UEL) e Mestranda em ensino de ciências humanas, sociais e da natureza (UTFPR - Londrina). Mais de 10 anos de experiência com aulas de português e redação na educação básica, no ensino superior e em preparatórios para concursos públicos. Revisora de diversas obras.

Gostou? Deixe um comentário!

Este site é protegido pelo reCAPTCHA e são aplicáveis a Política de Privacidade e os Termos e condições do Google.



Gostaria de receber um e-book com dicas de redação?

Preencha o formulário abaixo e receba em seu e-mail!
Selecione uma opção para receber informações sobre o assunto.