A importância do uso de sinônimos no texto

Os sinônimos são palavras que, empregadas em um mesmo contexto, têm os seus significados muito semelhantes e, por isso, eles colaboram para que a repetição não aconteça em excesso e empobreça o seu texto.

Além disso, o emprego de expressões sinônimas deixa explícito para o leitor o seu amplo conhecimento vocabular sobre o assunto. Ou seja, variar a forma de referir-se a um mesmo elemento demonstra que você tem um repertório de leitura e reflexão mais amplo a respeito do tema.

Veja um exemplo de como a repetição pode ser resolvida no texto:

 

Defesa Civil não vê risco de desabamento do prédio do Museu Nacional, mas recomenda interdição do prédio centenário. Rachaduras na estrutura do prédio centenário provocadas após incêndio demonstram que revestimento pode cair.

Defesa Civil não vê risco de desabamento do prédio do Museu Nacional, mas recomenda interdição do edifício centenário. Rachaduras na estrutura do palácio centenário provocadas após incêndio demonstram que revestimento pode cair.

(Adaptado de: <https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/2018/09/03/defesa-civil-nao-ve-risco-de-desabamento-do-predio-do-museu-nacional.ghtml>. Acesso em 03/09/2018).

 

Outra maneira de evitar a repetição é utilizando expressões nominais, não necessariamente sinônimas, conforme o exemplo a seguir:

Há exatas seis décadas, no dia 29 de junho de 1958, um domingo de verão em Estocolmo, Pelé iniciou um gol eternizado na história das Copas do Mundo: matou a bola no peito dentro da área da Suécia. Ela pingou uma vez no chão antes do craque chapelar o zagueiro Gustavsson e concluir no canto do goleiro Svensson. Àquela altura, aos 10 minutos do segundo tempo, o Brasil abria 3 a 1 na final da Copa, de virada, contra os donos da casa. A partida ainda teria mais três gols (acabou 5 a 2), mas o momento em que o chute do camisa 10 entrou já provava que a taça Jules Rimet, que premiava o melhor selecionado do planeta, merecia outro país como dono depois de uruguaios, italianos e alemães a erguerem.

(Trecho: https://brasil.elpais.com/brasil/2018/06/28/deportes/1530221386_139762.html)

 

É muito importante que você faça da leitura um exercício diário, assim como, ao escrever um texto, atentar-se para o vocabulário utilizado. Também não deixe de fazer consultas a um dicionário tradicional, ou a um dicionário de sinônimos, isso só alavancará seu repertório linguístico.

Já pensou em aprimorar a escrita praticando?

[  Clique aqui e saiba mais  ]

Publicado em 5 de novembro de 2018 na categoria Redação

Gostou? Que tal compartilhar!

Autor:

Equipe Escrever é Praticar

Diga-nos o que achou desta publicação?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *