Redação Concurso TJPA – Tribunal de Justiça do Estado do Pará.

Atualizado em: 01/11/2019 – conforme republicação do edital efetuado em 29/10/2019.

O edital para o concurso do TJPA foi publicado no último dia 15/10/19 e a banca organizadora será o Cebraspe (Cespe).


As inscrições para este certame ficarão abertas entre os dias 30/10/19 e 22/11/19 e as provas estão previstas para serem aplicadas no dia 19/01/2020.


Este edital visa preencher 200 vagas e a formação de cadastro reserva para diversos cargos nos níveis médio e superior com vencimento podendo a chegar a R$10.166,75. Veja abaixo os cargos disponíveis:


Cargos para o nível médio –

Auxiliar Judiciário; Auxiliar Judiciário – Área/Especialidade: Programador de Computador.


Cargos de nível médio excluídos no edital republicado em 29/10/2019 –

Auxiliar Judiciário – Área/Especialidade: Auxiliar de Consultório Dentário; Auxiliar Judiciário – Área/Especialidade: Técnico em Enfermagem; Auxiliar Judiciário – Área/Especialidade: Técnico em Segurança do Trabalho.


Cargos para o nível superior –

Analista Judiciário – Área: Administrativa; Analista Judiciário – Área/Especialidade: Administração; Analista Judiciário – Área/Especialidade: Análise de Sistema (Desenvolvimento); Analista Judiciário – Área/Especialidade: Análise de Sistema (Suporte);  Analista Judiciário – Área/Especialidade: Ciências Contábeis; Analista Judiciário – Área/Especialidade: Direito; Analista Judiciário – Área/Especialidade: Estatística; Analista Judiciário – Área/Especialidade: Pedagogia; Analista Judiciário – Área/Especialidade: Psicologia; Analista Judiciário – Área/Especialidade: Serviço Social; Oficial de Justiça Avaliador.


Cargos de nível superior excluídos no edital republicado em 29/10/2019 –

Analista Judiciário – Área/Especialidade: Arquitetura;  Analista Judiciário – Área/Especialidade: Biblioteconomia; Analista Judiciário – Área/Especialidade: Comunicação Social; Analista Judiciário – Área/Especialidade: Economia; Analista Judiciário – Área/Especialidade: Enfermagem; Analista Judiciário – Área/Especialidade: Enfermagem do Trabalho; Analista Judiciário – Área/Especialidade: Engenharia Civil; Analista Judiciário – Área/Especialidade: Engenharia do Trabalho; Analista Judiciário – Área/Especialidade: Engenharia Elétrica; Analista Judiciário – Área/Especialidade: Fiscal de Arrecadação; Analista Judiciário – Área/Especialidade: Medicina; Analista Judiciário – Área/Especialidade: Medicina do Trabalho; Analista Judiciário – Área/Especialidade: Medicina Psiquiátrica; Analista Judiciário – Área/Especialidade: Odontologia.


Para os cargos de nível médio será aplicada uma prova objetiva de conhecimentos gerais contendo 20 questões e uma prova objetiva de conhecimentos específicos contendo 30 questões.


Já para os cargos de nível superior será aplicada uma prova objetiva de conhecimentos gerais contendo 30 questões, e uma de conhecimentos específicos com 40 questões, além de prova discursiva e avaliação de títulos.


A prova discursiva para os cargos de nível superior valerá 30 pontos e consistirá na redação de texto dissertativo de, no mínimo, 20 linhas, e de, no máximo, 30 linhas, a respeito de temas da atualidade. Lembrando ainda que a prova discursiva é de caráter eliminatório e classificatório, ou seja, é fator decisivo para a sua aprovação.


De acordo com o edital, a prova discursiva será corrigida conforme os critérios a seguir:


  1. a) a apresentação e a estrutura textuais e o desenvolvimento do tema totalizarão a nota relativa ao domínio do conteúdo (NC), cuja pontuação máxima será limitada ao valor de 30,00 pontos;
  2. b) a avaliação do domínio da modalidade escrita totalizará o número de erros (NE) do candidato, considerando-se aspectos de natureza gramatical, tais como: grafia, morfossintaxe e propriedade vocabular;
  3. c) será desconsiderado, para efeito de avaliação, qualquer fragmento de texto que for escrito fora do local apropriado ou que ultrapassar o número máximo de linhas estabelecido;
  4. d) Será apenado o texto dissertativo que desobedecer à extensão mínima de linhas, deduzindo-se, da pontuação atribuída, 0,25 ponto de cada linha que faltar para atingir o mínimo exigido.

Nos casos de fuga ao tema, ou de não haver texto, o candidato receberá nota na prova discursiva igual a zero.


O Cebraspe possui uma característica própria na construção da proposta de redação, pois apresenta um pequeno texto acerca do assunto, na sequência indica o tema central da redação e, por fim, lista os aspectos sobre os quais o candidato deve discorrer. Ou seja, é a banca que determina o percurso da sua redação, não sendo necessário acrescentar nenhum tópico a mais. Cabe destacar, ainda, que a pontuação de conteúdo é subdividida entre os aspectos, portanto, é essencial tratá-los de forma objetiva e consistente para alcançar uma boa pontuação.


E para preparar-se a respeito do tema, inicie desde já um estudo sobre atualidades, informe-se e anote informações a respeito dos principais fatos deste ano tanto relativos ao estado do órgão quanto do País.



Mas se você quer garantir uma ótima nota na prova Discursiva neste concurso, você precisa contar com as correções e orientações específicas do Escrever é Praticar.


Tem dúvidas sobre o nosso serviço?

Acesse este link e veja detalhadamente um passo a passo: Como Funciona

Veja também a seção “perguntas frequentes”, nela você poderá tirar dúvidas que são pertinentes na hora da contratação: Perguntas Frequentes

E, se mesmo assim ainda restou alguma dúvida, fique à vontade para nos perguntar, envie-nos  um e-mail acessando este link: Tem Dúvidas?



Leia também:

Prova discursiva para concurso público


Redação e Estudo de Caso - TRF 3

Já pensou em aprimorar a escrita praticando?

[  Clique aqui e saiba mais  ]

Publicado em 17 de outubro de 2019 na categoria Cebraspe (Cespe), Concursos

Gostou? Que tal compartilhar!

Autor:

Escrever é Praticar

Diga-nos o que achou desta publicação?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *