Estudo de caso X Discursiva – Qual a diferença?

Nos últimos anos, em provas de concurso público tem sido crescente a exigência de produção de textos, em especial, daqueles exigindo do candidato a explanação sobre conteúdo específico do cargo, e não mais sobre fatos da atualidade ou conhecimentos gerais.

Essa mudança é interessante, pois demonstra o interesse em admitir candidatos que não apenas decoram leis e termos técnicos, mas que refletem sobre a teoria e têm noção da aplicabilidade dela no cotidiano da função. Afinal, ao assumir o cargo ele deverá demonstrar capacidade de análise e aplicação de noções técnicas e teóricas.

É o famoso “aliar a teoria à prática”.

Nesse sentido, os textos de tipo expositivo são requisitados, podendo variar entre os gêneros estudo de caso e discursivo.

Diante disso, é essencial que o candidato leia atentamente o edital para certificar-se de qual gênero textual será cobrado em sua prova e, assim, preparar-se de forma adequada quanto às características do texto.

Primeiramente, quando o edital afirma que haverá uma “prova discursiva”, significa que, além das questões objetivas, será cobrada a elaboração um texto em prosa. Por isso, nos itens que tratam sobre a prova discursiva, você deve observar a classificação do gênero a ser cobrado na prova discursiva: Texto discursivo Estudo de caso, Texto Discursivo, Texto discursivo Redação.

A redação é o texto dissertativo-argumentativo. Sobre ela, confira aqui:

Estrutura da Dissertação

Tanto os textos de estudo de caso quanto os textos discursivos podem ser considerados dissertação expositiva. Outro ponto em comum entre eles é necessidade de demonstrar conhecimento profundo do assunto, se possível com detalhes, seguindo sempre uma ordem lógica e de forma clara.

A linguagem não pode ser muito técnica, então não abuse de terminologias específicas da área, isso dificulta a compreensão rápida do que expuser. Lembre-se de que você não está construindo um texto científico para uma banca exclusiva da área, uma dica é imaginar-se explicando sobre um assunto específico para uma pessoa que não conhece nada sobre ele.

estudo de caso é quando há uma situação fictícia e, a partir dela, você deve apresentar senso de análise pautado no conhecimento teórico e, obrigatoriamente, discorrer sobre como solucionar o caso. Sempre fazendo menção à história contada no enunciado.

O texto discursivo trata-se de uma exposição teórica de um determinado tema (ou um ponto específico dele) indicado no conteúdo específico do edital. Ou seja, você precisa convencer o leitor/corretor que você conhece (muito bem) tal assunto.

Em suma, esses tipos de texto apresentam a mesma organização da dissertação (introdução – desenvolvimento – conclusão), contudo não há obrigatoriedade de uma introdução com uma perspectiva pessoal, ela apenas apresentará de forma geral o assunto, ou o caso. E, ao concluir, é preciso ter cuidado para não apresentar uma sugestão frágil ou superficial, também não se posicione apresentando algum juízo de valor, ambos os textos são impessoais. Prefira encerrar reafirmando qual foi o assunto discutido e qual a importância dele.

                Confira o quadro abaixo com um resumo das características dos dois textos:

Estudo de caso Texto Discursivo
Objetivo Analisar caso hipotético e propor solução com base na teoria. Demonstrar conhecimento teórico sobre tópico teórico. Não defende ponto de vista pessoal.
Linguagem Impessoal, Formal, Objetiva e Clara
(Evitar excesso de termos específicos)
Apresentação da proposta Pequeno texto narrando um caso fictício com problema hipotético seguido de enunciado indicando o foco da análise. Enunciado que apresenta um tópico do conteúdo específico, podendo indicar itens para discorrer sobre ele.
Introdução Apresentar resumidamente o caso: envolvidos e problema. Contextualizar o assunto central, se possível, expor a base teórica principal.
Desenvolvimento Análise do problema pautando-se na teoria seguindo a ordem lógica dos fatos, ou a sequência dada na proposta. Referir-se ao caso durante a análise. Apresentação da teoria seguindo a ordem lógica, ou a sequência dos itens da proposta. Respaldar a exposição em dados específicos do conteúdo.
Conclusão Apresenta uma possível solução, ou desfecho. Pode reafirmar o assunto central, ou discorrer sobre o último item, marcando com um conectivo de encerramento.
Aulas Práticas de redação sem sair de casa. Curso de redação online.

Autor(a): Professora Mariana Santana Marins, idealizadora do Escrever é Praticar. Especialista em Língua Portuguesa (UEL) e Mestranda em ensino de ciências humanas, sociais e da natureza (UTFPR - Londrina). Mais de 10 anos de experiência com aulas de português e redação na educação básica, no ensino superior e em preparatórios para concursos públicos. Revisora de diversas obras.

Gostou? Deixe um comentário!

Este site é protegido pelo reCAPTCHA e são aplicáveis a Política de Privacidade e os Termos e condições do Google.



Anailde

3 anos atrás

Gostei e já vou solicitar o curso online a banca do concurso que irei prestar é FCC.
Irei pagar o boleto hoje.

Renata

3 anos atrás

Bom dia. Por gentileza, existe a possibilidade de fazermos um pacote para estudos de caso também? Se sim, qual o valor? Grata.

Escrever é Praticar

3 anos atrás

Olá, Renata.
Sim, trabalhamos com estudo de caso também! Os valores são os mesmos, você pode contratar qualquer plano disponível e assim que liberado o cadastro na área do aluno, você deverá informar qual concurso e cargo que irá prestar, assim iremos enviar os temas de acordo com o exigido no edital.
Um abraço.

Lariany Caren S. V. Hilario

5 anos atrás

Olá, gostaria de saber se os cursos de redação e estudos de casos são apenas online ou se há também o curso presencial? Obrigada.

Escrever é Praticar

5 anos atrás

Olá, Lariany.
Nossos cursos são online, não temos cursos presenciais no momento.
Você pode ver como funciona nosso trabalho neste link: https://redacaoparaconcursos.com.br/redacao-online/

Obrigado.

Gostaria de receber um e-book com dicas de redação?

Preencha o formulário abaixo e receba em seu e-mail!
Selecione uma opção para receber informações sobre o assunto.